Os cuidados precisam ser dobrados.

Quando se descobre que tem diabetes é preciso fazer uma mudança na rotina de alimentação e exercícios urgentemente. E quando no caso se trata de uma noiva?

Não que merece atenção diferenciada, porem o cuidado tem que ser tomado constantemente, tanto na escolha do cardápio do buffet como no dia dia onde, os ânimos estão a flor da pele, por conta dos preparativos com o grande dia.

A troca de hábitos pode ser um tanto penosa, dependendo dos seus costumes, e você terá de deixar de comer certos alimentos, já que será necessário seguir especificamente uma dieta para diabéticos.

Mas, é importante pensar que a dieta para noivas diabéticas não precisa ser tediosa, porque com criatividade e cuidado dá para fazer pratos e receitas bem legais e montar um cardápio diverso, que seja gostoso e prazeroso de comer.

A ideia aqui é explorar os alimentos indicados para o controle da diabetes e também quais devem ser evitados e porquê.

Depois vamos montar uma opção de cardápio de café da manhã, almoço e jantar levando em conta uma dieta para diabéticos.

É bom entender que nenhuma dieta vai curar a diabetes. A doença é um problema crônico no qual os níveis de açúcar no sangue tendem a subir muito rapidamente ou se manterem muito elevados.

Vários problemas podem decorrer desse acúmulo, como mal-estar, má cicatrização e até cegueira e coma. Por isso é tão importante para quem tem a doença controlar os níveis de açúcar pela restrição na dieta, mesmo fazendo uso de remédios que controlem os picos de glicemia.

Uma dieta para diabéticos é uma dieta pobre em açúcares e carboidratos, que se transformam em açúcar no corpo.

Nos diabéticos, a digestão desses nutrientes não ocorre de forma correta, e quando eles permanecem por mais tempo no processo digestivo, a quantidade de glicose na corrente sanguínea atinge níveis perigosos.

Alimentar-se de modo a evitar esse aumento vai aumentar a qualidade de vida do diabético e ajudar a controlar naturalmente a doença.

Para isso, alguns alimentos devem ser excluídos completamente da dieta para diabéticos, outros podem ser consumidos com moderação e alguns têm seu consumo liberado.

Certo e errado na dieta para diabéticos

As fibras devem ter lugar de destaque na dieta para diabéticos e, sendo assim, os vegetais fibrosos como alface, folhas verde-escuras, aipo, abóbora, cenoura, beterraba e pimentão devem ser ingeridos com regularidade, porque são ricos em antioxidantes e barram a absorção da glicose.​

Mais conhecida como “dieta mediterrânea”, ela se tornou famosa entre os diabéticos porque privilegia alimentos que têm ação anti-inflamatória, limitando o consumo de massas e pães feitos com farinha branca, exatamente o que um diabético precisa se preocupar.

O melhor é trocar as massas por vegetais e tubérculos, frutas e cereais integrais, prestando atenção nas quantidades e cortando a gordura de origem animal. As gorduras saudáveis vem das oleoginosas, como amêndoas, amendoim, nozes e castanhas.

óleo de coco também é uma boa opção e o azeite de oliva extra virgem é o melhor azeite para se ter na cozinha, pois ele reduz o nível de açúcar no sangue, além de ter outros benefícios comprovados.

Troque o leite integral pelo desnatado e procure sempre os laticínios com menor nível de gordura, mantendo a ingestão de cálcio e vitamina D.

Os queijos brancos são sempre as melhores opções por serem os menos gordurosos, como o Minas, ricota, cottage ou de búfala.

Os frutos cítricos vão garantir a vitamina C e também ajudar nas fibras. São eles: laranja, limão, lima, abacaxi, acerola, mexerica, kiwi, morango e tomate (que além de também ser rico em vitamina E e ferro, ainda é antioxidante).

Em caso de diabetes tipo 2, o ômega-3 ganha lugar de destaque na dieta, porque ele atua na proteção das artérias.

Esse ácido graxo é encontrado facilmente no óleo de peixe, como tilápia, atum e salmão. Mas, atenção, o melhor é consumir o filé de peixe grelhado, evitando à milanesa ou frito.

O ômega-3 também existe, em menor quantidade, em fontes vegetais, como linhaça, nozes, amêndoas, cereais e folhas verde-escuras, que também são fontes ricas de vitamina A.

Alguns temperos como açafrão ou cúrcuma também se mostraram eficazes na redução dos níveis de açúcar no sangue.

Já os açúcares e os carboidratos serão os vilões das dietas para diabéticos, devendo ser evitados ao máximo. Não só o açúcar puro, mas todos os alimentos que o contêm, como sucos de caixinha, refrigerantes, bolos, biscoitos, doces, balas, chocolate, etc.

Frutas muito ricas em frutose também precisam ser reduzidas, apesar de serem saudáveis. São elas: banana, frutas secas, damasco, pêssego, figo e tâmara.

O álcool deve ser cortado radicalmente, principalmente no que diz respeito aos destilados, pois a substância atua negativamente no metabolismo da insulina, o hormônio responsável por metabolizar os carboidratos no sangue.

As bebidas fermentadas, como vinho e cerveja, podem ser consumidas, desde que com moderação.

Agora vamos para a sugestão de um cardápio prático, que pode ser seguido no dia a dia.

Café da manhã

Você, com certeza, já ouviu dizer que o café da manhã é a refeição mas importante do dia. Isso porque é a alimentação do café que vai colocar o seu corpo para funcionar.

Quem costuma pular o café da manhã geralmente sente mais fome durante o dia, come em maior quantidade, além de se sentir fraco e desmotivado.

No caso dos diabéticos, devemos pensar que o café da manhã precisa ser ao mesmo tempo forte e oferecer todos os nutrientes necessários para um dia saudável, além de seguir as restrições da dieta.

Uma boa opção é um queijo branco, acompanhado por uma fruta, como abacate, abacaxi ou laranja, café com leite desnatado e adoçado com adoçante.

Sempre bate aquela dúvida sobre o pão. Comer ou não comer? Ou se vai comer, que tipo é o mais adequado? O pão contém glicose e carboidratos, por isso nunca deve ser consumido em excesso e, se possível, não deve ser consumido.

Mas, os pães mais indicados para uma dieta para diabéticos são aqueles que contêm muitos cereais fibrosos, como linhaça, aveia e centeio.

Sempre escolha os pães de farinha integral e confira no rótulo para ver se ela não está misturada com farinha branca. O pão preto não costuma ser recomendado, pois pode conter açúcar caramelizado ou açúcar mascavo, então, de novo, verifique o rótulo do produto antes de consumi-lo.

É bom ainda comer um lanchinho entre o café da manhã e o almoço. Dê preferência para as frutas, como kiwi ou morango, e para dar mais sustância, jogue um cereal, como linhaça ou aveia por cima.

Almoço

O almoço deve ser uma refeição mais completa, suprindo todos os nutrientes que não estiveram presentes no café da manhã.

A salada nunca pode faltar no prato dos diabéticos, principalmente porque quase não tem restrições e, por isso, pode ser ingerida à vontade.

Dê preferência aos vegetais verde-escuros, como brócolis, espinafre, couve e agrião, e tempere com azeite de oliva extra virgem. Tente montar um prato de salada bem colorido: verde das folhas, vermelho do tomate, laranja da cenoura, roxo da beterraba, etc.

Se for comer macarrão ou arroz: sempre integral. No caso do macarrão, cuidado com o molho para não exagerar em nada muito glicêmico, principalmente se for um molho à base de queijo.

As carnes vermelhas devem ser consumidas por causa de seus nutrientes, como o ferro e a vitamina B12, mas escolha sempre os cortes magros, como lagarto, patinho ou alcatra.

Entre as carnes brancas, dê preferência aos peixes que contêm gorduras boas, como truta, salmão ou sardinha. Mas, lembre-se que, apesar de serem saudáveis, esses peixes são bem calóricos e, portanto, as quantidades devem ser controladas, além do preparo grelhado.

Sobremesa

Ao contrário do mito, a sobremesa não é totalmente proibida na dieta para diabéticos, mas precisa ser controlada. Evite comer todos os dias e escolha sempre as opções com menos açúcar ou diet. Coma pequenas porções, preferindo os doces com frutas ou chocolate amargo, com pelo menos 75% cacau.

Jantar

Estabeleça a hora do jantar de acordo com a hora que você deita para dormir: o melhor é comer pelo menos duas horas antes de se deitar, para dar tempo do corpo metabolizar a comida antes de relaxar.

Se você gosta de um lanchinho mais leve na parte da noite, uma boa opção é uma fatia de queijo branco ou uma fatia de pão integral com peito de peru, acompanhado de suco de frutas natural (com frutas com menos açúcar, como morango ou abacaxi), ou chá.

Mas, se você prefere uma refeição mais robusta, pode apostar em uma salada com uma carne de boi grelhada ou um filé de peixe. Um bom prato ainda é um macarrão integral ou sem glúten com vegetais cozidos e cubinhos de carne.

Ser diabético não precisa ser motivo para não acompanhar os amigos no almoço ou só comer a mesma coisa todos os dias.

Tendo uma variedade de ingredientes e apostando em combinações novas, dá para manter o cardápio diversificado e apetitoso sem precisar se privar de muita coisa, e sim confiando no autocontrole.

Mesmo tendo diabetes, dá para ser saudável e feliz, então, que tal começar hoje mesmo a se aventurar na cozinha?

Confira os pontos mais importantes da dieta de forma resumida.

  • O café da manhã é a principal refeição para todas as pessoas, especialmente para os diabéticos. A refeição ajuda a evitar ganho de peso, pois ajuda a regular a sensação de saciedade durante o dia. É essencial ao diabético não pular nenhuma refeição.
  • A banana está liberada na dieta, porque é uma fruta rica em fibras e minerais, como potássio e magnésio. Ela precisa ser ingerida, no entanto, dentro de uma dieta equilibrada e um especialista deve indicar qual a quantidade que pode ser consumida semanalmente.
  • O consumo de sal deve ser o menor possível. Isso porque o sódio faz com que o coração bombeie sangue mais rapidamente, o que leva a um aumento da pressão sanguínea.
  • É indicado fazer refeições fracionadas durante o dia. Com isso, a pessoa mantém equilibrado o nível de açúcar no sangue e evita o consumo de quantidades exageradas de alimento, algo comum quando se passa muito tempo sem comer.
  • Frituras devem ser deixadas de lado e dar lugar para alimentos assados e grelhados.
  • Os produtos diet não estão totalmente liberados. Eles também possuem carboidratos, que elevam o nível glicêmico do sangue. Devem ser consumidos sob orientação de um especialista.
  • As frutas são essenciais na dieta de quem tem diabetes e aquelas que têm bagaço são ainda melhores, pois são ricas em fibras, que conferem maior saciedade.  Devem ser consumidas com moderação, de preferência ao natural. As menos calóricas são melhores opções.
  • Evite consumir frutas em forma de suco. Durante o preparo são usadas muito mais frutas para uma porção. Além disso, as fibras ficam de lado nesse tipo de preparação e são elas que ajudam a diminuir a absorção do açúcar pelo organismo.
  • Substitua o leite integral pelo desnatado, que tem menos gordura. O mesmo vale para os derivados.
  • A carne vermelha é muito importante na dieta, por causa da grande quantidade de proteínas, ferro e vitamina B12. Mas prefira os cortes magros, que possuem menos gordura saturada, como o lagarto, o patinho e a alcatra.
  • Entre as carnes brancas, o peixe é o mais indicado, especialmente o salmão e a sardinha, fontes de ômega 3.

3 Comments

Leave a comment

Assine nossa Newsletter

Projeto Noiva Fit© 2019. Todos os Direitos Reservados.